-
-
190 m
4 m
0
1,4
2,7
5,42 km

10 maal bekeken, 0 maal gedownload

nabij Lagoinha, Santa Catarina (Brazil)

Com seu belo litoral bastante recortado, Florianópolis possui inúmeras enseadas, pontas, baías, lagoas e trilhas com visuais deslumbrantes. Uma destas trilhas é a do Morro do Rapa, que apresenta uma das vistas mais bonitas do norte da ilha. A caminhada tem quase 3km de extensão (2.800 m e a média do tempo de percurso é de 2 horas, sendo sua dificuldade leve a moderada (conforme o roteiro e época do ano), apesar de ter partes íngremes. Ela pode ser feita em duas direções, pois liga a praia da Lagoinha do Norte à praia Brava, passando pela Ponta do Rapa, que dá nome ao caminho. Caminhando em meio à Mata Atlântica, tem-se vários pontos para avistar a beleza da encosta recortada pelo mar azul brilhante. Após alguns minutos de caminhada, chega-se a uma grande pedra ao lado da trilha, uma pequena saída da trilha, uma enorme pedra que serve de um belíssimo mirante. Dali é possível avistar boa parte do continente e as praias que vão ficando para trás. Se passa também por uma caverna de pedra, uma formação rochosa que molda um túnel sobre a trilha, que parece uma grande janela. A Ponta do Rapa é o ponto mais ao norte da ilha de Florianópolis, de modo que, ao circundarmos a trilha, estamos dando a volta nesta pequena península, e quando faz-se a subida do Rapa, muda-se totalmente a nossa perspectiva. No início vemos a parte interna da ilha, que dá para o continente e depois observamos a parte externa, para o oceano. Depois da subida até a o alto do Rapa, onde é possível fazer escaladas em rocha, começamos uma descida pela mata para despontar em dos mirantes mais belos que já vi: uma grande plataforma de parapente de onde podemos ver os dois lados da ilha de Florianópolis, leste e oeste. O mar ao redor, o recorte de todo o norte da ilha deleitando nossos olhos – algo que foto nenhuma pode mensurar. Uma parada ali é obrigatória, para contemplar o visual, os sons da mata e do mar mesclados em uma sinfonia única – um bom exercício de humildade, tamanha a nossa pequenez diante da grandeza da natureza.

Commentaar