Moving time  2 uur 31 minuten

Tijd  6 uur 9 minuten

Coördinaten 1879

Geüpload 30 maart 2018

Uitgevoerd maart 2018

-
-
477 m
15 m
0
2,8
5,7
11,33 km

1175 maal bekeken, 66 maal gedownload

nabij Estêvão, Santa Catarina (Brazil)

Pedra Branca (retorno pela Palhoça - Bairro Pedra Branca)
Trilha da Pedra Branca: Localizada no município de São José, a Pedra Branca é uma dos percursos de trilhas mais populares na grande Florianópolis.
A própria pedra que de branca tem o nome que representa o marco geográfico e histórico mais conhecido no ponto culminante dos limites entre Palhoça e São José, na Grande Florianópolis.
O Morro da Pedra Branca é a maior pedra da região com 120m², com 500 metros de altitude, localizada entre a cidade de São José e Palhoça. De onde é possível ver a Ilha de Santa Catarina e boa parte da grande Florianópolis.
Formado por rochas calcárias, o maciço é abraçado por vegetação de mata atlântica de encosta, orquídeas e bromélias, com predomínio de gramíneas no topo. Cientistas estimam que o morro da Pedra Branca tenha cerca de 120 milhões de anos.
A Pedra Branca começou a ficar conhecida com a abertura do Caminho dos Tropeiros. Foi traçado da primeira estrada entre a vila de Nossa Senhora do Desterro, atual sede de Florianópolis, e Lages, em 1787, quando o alferes Antônio José da Costa partiu da Capital com 12 homens armados e 12 escravos em direção à Serra. Mais tarde as planícies do entorno foram ocupadas por imigrantes açorianos – surgindo comunidades como Caminho Novo e Cova Funda, atual São Sebastião, em Palhoça; e Pagará, Sertão do Maruim, no lado de São José.
A Pedra Branca sempre foi considerada ponto de orientação para viajantes e povos nômades. Desde os tempos mais remotos, a formação que se ergue entre 460 e 500 metros de altitude funciona como bússola, mostrando que o mar está próximo. Ponto de referência para aviadores e aprendizes que aterrissam ou decolam da pequena pista do Aeroclube de São José, no Sertão do Maruim, a principal referência é a imensa lasca acinzentada de granito que forma penhasco no portal de montanhas e vales da Serra do Tabuleiro. “A Pedra Branca é nosso marco principal de localização visual, o ponto geográfico mais importante ao lado do Cambirela e da Baía Sul”.
Ponto de referência nos limites entre São José e Palhoça, a Pedra Branca já foi alvo de disputas entre os dois municípios e marca explorada comercialmente nos dois lados. Em 1999, por meio de projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa, arte do maciço foi incluída no território oficial josefense, mas até hoje não há interesse do poder público em demarcar a APP (Área de Preservação Permanente) do entorno ou sinalizar e melhorar a segurança das trilhas, maior parte delas em propriedades particulares.
Muitas vezes é palco de eventos esportivos e religiosos, nos finais de semana é fácil encontrar as mais diversas tribos em suas trilhas (motoqueiros, mountain bikers, cavaleiros e praticantes de trekking).
A vista do alto da Pedra Branca é simplesmente deslumbrante, em um dia sem muita nebulosidade é possível ver a Ilha de Santa Catarina de ponta a ponta, da Daniela a Naufragados sem contar as vistas São José, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz. E mais de perto, o Rio Cubatão, principal manancial que abastece a Grande Florianópolis, que compensa todo o esforço para a sua ascensão.
+++++++++++++
Esta trilha não apresenta dificuldade técnica, já a inclinação é uma das principais dificuldades, constante o tempo todo o que exige um bom preparo físico para realizar a ascensão.
Subimos pela trilha mais conhecida, com acesso pelo bairro do Sertão do Maruim a partir do km 226 do Contorno Viário que está em construção, onde o estado do terreno não é dos melhores devido a erosão e a passagem de motos com terreno molhado. A maior parte deste acesso inicial é formado por uma estradinha estreita, grande parte sem cobertura de arvores. Segue-se por este percurso ate encontrar uma placa com informação de acesso da trilha a esquerda para trekking pelo meio da mata. Há alguns pontos de água neste trajeto (sempre recomendável o uso de filtros ou purificadores), existem poucas bifurcações ao longo do caminho e basicamente é só continuar subindo.
Atenção: Aproximadamente em 2,4km tem uma última bifurcação que a esquerda continua subindo para ascensão a Pedra Branca ou seguindo em frente , já descendo o Morro que segue em direção ao acesso da Colônia Santana.
Na subida da Pedra Branca é possível observar a vegetação de Mata Atlântica, que é rica em bromélias, orquídeas, além de uma variedade de pássaros.
No Topo existe algumas formações rochosas para realizar belas fotos, com a cidade de fundo e cadeias de montanhas ao redor da Pedra Branca. Pegamos um bom dia para contemplação e belas fotos.
Realizamos a descida por um outro acesso por mim não conhecido. No próprio topo contrário ao lado do mirante segue em frente descendo o morro na primeira bifurcação havia três possibilidades de caminho, a da esquerda parecia mais aberta e batida, optamos pelo acesso do meio porque pretendíamos fazer um trajeto maior.
Este trajeto foi transposto algumas cercas que possuíam no caminho, mas geralmente bem abertas, somente para não passagem de animais. Seguimos a trilha até chegarmos no Contorno Viário que está em construção e retornamos pelo trajeto que será a futura BR-101.

Percurso realizado por Dayanne e Johnny.
Trilha do Sem Limites!

Lembrem-se: NÃO FAÇA FOGUEIRAS: Ao acampar as fogueiras são proibidas em locais ambientalmente protegidos. A atividade enfraquece o solo e representa uma das grandes causas de incêndios florestais. Ao cozinhar utilize fogareiro, para iluminação use lanterna e para se aquecer, basta ter a roupa adequada ao clima do local que se está visitando.
Evite desmoronamentos ao entrar e sair de rios, e também não jogue nada neles; Não entre acompanhado de animais de estimação.
Muita atenção ao horário de retorno (variável de acordo com a estação), leve SEMPRE lanterna e baterias sobressalentes; Lembre-se: em ambientes naturais há riscos de diversos acidentes e a fadiga pode favorecê-los. Ao atravessar ou banhar-se em rios e cachoeiras tenha consciência que os mesmos podem subir repentinamente. Isso pode gerar situações perigosas, ilhando ou até arrastando as pessoas.
NUNCA deixe nenhuma forma de lixo nas trilhas ou montanhas, recolha o lixo que encontrar se for possível.
Toda trilha possui seu esforço é importante conhecer seus limites. E ALONGUE-SE!
Respeite a natureza!
Preservemos a beleza natural do mundo.
A felicidade verdadeira deve ser compartilhada!

4 commentaren

  • Foto van Medeiros.Personal

    Medeiros.Personal 14-mei-2018

    Interessante

  • Foto van harrombytch

    harrombytch 21-jun-2018

    Muito bom o Histórico, parabéns!

  • Foto van Aislan Mendes

    Aislan Mendes 23-jan-2019

    Massa jhony!! Cara, to afim de subir la sabado. Vi que na volta, vc passou em uns pastos ali, e parece ser privado.. nao tem estresse passar por ali?

  • Foto van Johnny S

    Johnny S 23-jan-2019

    Olá Aislan.
    Este retorno é um caminho antigo e acaba não passando por nenhuma casa, mas bem próximos e provavelmente por algumas propriedades. Até o momento desconheço de algum problema ocorrido de passagem.
    Abraços e boas trilhas