Coördinaten 341

Geüpload 29 januari 2018

Uitgevoerd november 2013

  • Score

     
  • Informatie

     
  • Gemakkelijk te volgen

     
  • Omgeving

     
-
-
503 m
113 m
0
0,9
1,7
3,4 km

584 maal bekeken, 48 maal gedownload

nabij Porto de Cima, Paraná (Brazil)

Este percurso liga o posto de controle de visitantes do IAP na localidade denominada de "Prainhas" (Morretes) até a Estação Ferroviária Marumbi, portal de entrada para o Parque Estadual do Marumbi e dezenas de opções de atrativos naturais, que envolvem desde simples passeios, caminhadas de um dia até trekking de travessias e escaladas.

Trata-se de uma variante da antiga "Trilha dos Guardas" que ligava a estação Marumbi a outros pontos da região, alternativa para não usar a estrada de saibro que leva à Estação Engenheiro Lange. O trecho integral desta trilha, antigamente, fazia conexões com a Trilha da Mamona, com a Estação Porto de Cima, além de fazer ligação com outras estações ferroviárias da ferrovia Paranaguá-Curitiba, como as Estações Banhado, Véu de Noiva e Casa do Ipiranga, ora utilizando-se de trechos do Caminho do Itupava, ora dos próprios trilhos. Muitas partes desta antiga trilha se perderam. Este é um trecho que permanece vivo, é relativamente fácil e se mostra como uma alternativa agradável à enfadonha subida à pé pela estrada de saibro que conduz à estação Engenheiro Lange.

A trilha propriamente dita, para quem sobe, inicia-se logo depois da ponte de trilhos de ferro na estradinha, à esquerda, embrenhando-se na mata. Para quem desce (sentido deste trajeto), após a Estação Engenheiro Lange, seguir pela estradinha até o 4º poste de energia elétrica, sendo que a entrada da trilha fica logo em seguida, à direita, entrando na mata. Nos dois sentidos a entrada para a trilha na mata é bem sutil, requerendo, não raro, que se procure com atenção os sinais da trilha, que ficam confusos com os rastros que o pessoal que se perde deixa na margem da estrada.
A tracklog aqui exibida espelha o trecho de descida (Marumbi-Prainhas), mas ela pode ser feita em qualquer sentido, sendo uma opção muito mais agradável do que a caminhada pela estrada, especialmente em dias de sol forte. Em condições medianas, leva-se cerca de 2h00 subindo e 1h20 descendo.

CARACTERÍSTICAS:
A trilha geralmente é aberta, bem batida e o seu rastro bem visível, porém não é demarcada e isso pode oferecer dificuldade de orientação em alguns trechos, especialmente para quem não está acostumado a seguir trilhas em mata fechada.

A água dos riachos em ambos os extremos da trilha é boa para consumo.

DIFICULDADE:
A trilha é de exigência física leve, com ganho de altimetria constante, considerando-se sua realização na subida, mas como apresenta alguns trechos lisos e a vegetação pode encobrir alguns trechos dependendo da época do ano, oferecendo possíveis dificuldades de orientação para seguir os rastros, aumentado ainda o risco de acidentes com animais peçonhentos. Por isso considero que no conjunto esta trilha deva ser classificada como de nível moderado.

SEGURANÇA E PRESERVAÇÃO - RECOMENDAÇÕES GERAIS:
Não arisque a sorte. Se não conhece a região, não se aventure sem companhia de quem já tenha caminhado ali ou conheça a área.

- Recomenda-se SEMPRE usar calçado adequado para trilha, como bota de cano médio, além de ter consigo equipamentos básicos para qualquer caminhada, como lanterna de cabeça e pilhas sobressalentes, proteção contra chuva e frio como um poncho ou anoraque e comida e água suficientes para se manter num dia de jornada. POLAINAS, especialmente aqueles modelos anti cobras, são recomendáveis para uma caminhada segura nesta trilha.

Ao trilhar pela região você também se torna responsável por ela, assim como pela sua segurança e de quem estiver com você. Lembre-se:
- Você é o principal responsável por sua saúde e segurança. Preste atenção onde pisa, onde senta e onde se segura. Cobras, aranhas e outros insetos potencialmente perigosos são encontrados com frequência na área e constituem riscos reais em qualquer área selvagem, especialmente nas estações de primavera e verão.
- TRAGA TODO o seu lixo de volta consigo;
- NÃO FAÇA FOGUEIRAS - toda a área é de preservação ambiental. EVITE ao máximo FUMAR na área e, se o fizer, não descarte suas bitucas no caminho - apague-as com água e traga junto com o seu lixo;
- Necessidades fisiológicas devem ser feitas longe de cursos d'água (pelo menos a 50m de distância). Dejetos sólidos devem ser enterrados e o papel higiênico trazido de volta com você;
- NÃO POLUA A ÁGUA das nascentes existentes na região: em seus eventuais banhos de rio, não use sabonetes e outros cosméticos e observe antes a remoção total dos resíduos de filtro solar, cremes e/ou repelentes aplicados sobre a pele. LAVE-SE ANTES, FORA E LONGE DO RIO usando uma garrafa para remover estes resíduos, sem lançar esta água usada diretamente no rio novamente. Estes produtos são altamente contaminantes e aquelas são águas que você mesmo e outros usarão para beber adiante;
- NÃO DESMATE, não abra novas trilhas, não colha plantas ou mesmo flores;
- NÃO faça marcas nas árvores ou rochas, NÃO coloque fitas ou sinalize partes da trilha, isso só deve ser feito por pessoas qualificadas e dentro de um plano de manejo. Também NÃO danifique a sinalização que porventura encontrar;
- FAÇA SILÊNCIO e desfrute da natureza como ela é, inclusive seus sons característicos;
- RESPEITE a presença de animais e de outros trilheiros.

Agindo desta forma você não coloca em risco outras pessoas, como seus próprios companheiros de caminhada ou ainda terceiros que poderiam ser acionados para um resgate, além de contribuir para a preservação do local e da região como um todo, mantendo-os interessantes aos que por ali irão passar depois de você. RESPEITE!
"A natureza também pertence aos que ainda estão por vir"

Bons ventos e ótima caminhada!
Estação ferroviária Engenheiro Lange. Atualmente sob controle e conservação da RUMO Logística
Trilha dos Guardas - sai da estrada. Descendo do Marumbi, atentar ao 4º poste de energia, lado direito. A entrada para a trilha fica próxima.
Rio, água boa para consumo, mas por precaução recomenda-se usar pastilhas de cloro ou filtrá-la antes de beber, haja vista a grande presença humana na área.
Ruínas da antiga Caixa D'água da época das locomotivas a vapor, atualmente abandonada
Ponte de Trilhos de Ferro, na estrada que leva à Estação Engenheiro Lange
Centro de Visitantes IAP em Prainhas
Grande pedra, ponto de referência na trilha
Riacho que cruza a trilha calçada entre as estações Eng. Lange e Marumbi
Rio, Rio, água boa para consumo, mas por precaução recomenda-se usar pastilhas de cloro ou filtrá-la antes de beber, haja vista a grande presença humana na área.
Estação Marumbi, portal de entrada para o Conjunto Marumbi, parte do Parque estadual homônimo
4º Poste de eletricidade, ponto de referência na estrada logo na entrada da trilha, sentido de quem desce saindo da Estação Eng. Lange.
Trilha, entrada (sai da estrada). Subindo, a partir de Prainhas, atentar à ponte de trilhos de ferro na estrada. A entrada fica à esquerda, logo a seguir.

2 commentaren

  • Foto van TanMarie

    TanMarie 23-apr-2018

    Ik heb deze route gevolgd  Bekijk in detail

    Getúlio, iniciamos em Morretes por esta trilha, realmente uma ótima sugestão sua para seguir pro Marumbi. Três dias de sol e tempo muito bom.
    Primeiro dia, fomos pro Olimpo, com retorno e ida ao Rochedinho. Acampamos na estação. Segundo dia, seguimos para a Invernadinha, via Itupava, um percurso muito legal também. Voltamos extenuados. E para fechar, no terceiro dia, para retorno à civilização, tocamos pela Trilha da Mamona!
    Tudo muito certo, ótimas dicas e informações valiosas. Muito gratos pelo conhecimento transmitido e pelas informações e tracks! Beijo!

  • Foto van gvogetta

    gvogetta 25-apr-2018

    Olá Tannia! Fico feliz que tenham conseguido aproveitar.